Pesquisar
Close this search box.

Guitarra para Iniciantes: As 10 Melhores em 2024

As 10 melhores guitarras para iniciantes do mercado e um método eficaz de aprender a tocar que seu professor não te conta.
Guitarra para iniciantes

Esse guia foi cuidadosamente criado para ajudar na escolha da sua guitarra para iniciantes. A idéia é auxiliar você a escolher uma guitarra extraordinária, a um preço acessível.

Fizemos uma pesquisa detalhada para que não precise procurar em nenhum outro lugar. Aqui a gente vai dar todas as dicas para que você possa selecionar a sua primeira guitarra e já possa sair tocando.

Nos primeiros passos da sua jornada musical como guitarrista, saber escolher seu instrumento ideal é crucial. Selecionar uma guitarra que não te inspire a tocar pode fazer com que ela fique empoeirada e jogada num canto e, por isso, é tão importante este passo inicial.

A gente foi no detalhe, escolhendo modelos e marcas que se procupam com a escolha da madeira, dos captadores e outros aspectos mais técnicos. Deixa que a gente dá tudo mastigado pra você!

Analisamos todos os tipos de guitarra disponíveis e chegamos a essa lista das top 10 guitarras para iniciantes. Além disso, vamos te dar dicas de como fazer seus primeiros acordes.

Segura aí a lista do que você vai ler neste artigo:

Qual a melhor guitarra para iniciantes? Lista das 10 melhores

Tagima TG520

A Tagima é uma marca consolidada no território nacional e reconhecida por produzir excelentes guitarras e baixos. Ela vai figurar algumas vezes na nossa lista por ser uma excelente alternativa às marcas gringas e ter uma ótima relação custo-benefício.

Esse modelo recente da Tagima já está dando o que falar. Essa guitarra para iniciantes é da série TW, que faz guitarras e baixos com características vintage, cujo controle de qualidade, produção e desenvolvimento são cuidados pelo respeitado luthier Márcio Zaganin.

Por ter um verniz fosco na parte de trás do braço, a mão desliza mais facilmente pelo instrumento. Isso é bom para mudanças de acordes ou treinos iniciais de escala. Já que estamos falando do braço temos que adicionar que ele é feito de maple e é um pouco mais fino, o que facilita a vida do guitarrista iniciante.

Ela possui 3 captadores, sendo um humbucker e dois single coils -todos de cerâmica – fabricados pela própria Tagima.

Seu design foi inspirado na icônica Fender Stratocaster e pode ser encontrada nas cores black, mettalic gold yellow, candy apple, metallic purple, metallic blue, metallic surf green e white.

Essa linha de guitarras da Tagima é bem conhecida. Outra boa guitarra dessa família é a TG530 que também está na nossa lista.

Detalhe: Existe versão para canhoto!

Preço: R$ 1.012 a e R$ 1.099

Squier Bullet Stratocaster HT

Se você é fã do David Gilmour, quer ter uma guitarra como a dele, mas não quer pagar uma fortuna, essa é a opção ideal pra você.

A Stratocaster fala por si só. Ela tem mais de 50 anos de história e é possivelmente o modelo mais icônico da história das guitarras. Tudo já foi dito sobre ela e a palavra que a resume é: ÚNICA.

Não fique ressabiado com o logo “Squier” na mão dessa guitarra. A linha consegue trazer tudo o que importa da versão clássica da Fender: sonoridade, leveza e conforto ao tocar (braço em “C”) – além de trazer a ponte vintage com alavanca. Com todos esses atributos, a Bullet Strat HT é uma ótima introdução à família Fender.

Essa é uma escolha perfeita para uma primeira guitarra, não importa que estilo de música você quer aprender. Esse modelo representa um dos melhores custo-benefício da atualidade. Então, ainda podemos adicionar “preço acessível” nos adereços aí de cima.

A Bullet Strat tem 3 captadores simples e a versão Brown Sunburst dela é simplesmente linda! Por este preço, é impossível achar opção melhor.

Guitarra para iniciantes ou iniciados, tanto faz, essa agrada a todos!

Preço: R$ 2.095

Epiphone Les Paul Special

A Les Paul Special ficou muito conhecida por ser a guitarra do Bob Marley.

Essa, no entanto, é fabricada pela Epiphone – responsável por produzir os modelos de entrada da Gibson. A qualidade dessa guitarra é impecável! Começar a resenha assim até empolga né? Mas não para por aí. 

Ela é equipada com captadores humbuckers da própria Epiphone. O que é de fato relevante, é que essa guitarra permite tirar sons diferentes e tocar músicas de gêneros variados. O quesito versatilidade é o que chama atenção nesse instrumento. 

Há tempos os fãs do modelo Gibson Les Paul Special vinham pedindo uma versão mais acessível e ela chegou pela sua subsidiária, Epiphone. Não tinha como essa guitarra para iniciantes ficar de fora da nossa lista!

Preço acessível + som incrível + versatilidade + excelente tocabilidade = alegria na certa!

Preço: R$ 2.306 a R$ 2.863

Squier Affinity Stratocaster

Se você já olhou pro Eric Clapton, John Mayer ou John Frusciante e pensou: “Essa é a guitarra que eu quero, mas não tenho grana”. Então, a Affinity Strat foi feita pra você. 

Esse modelo da Squier – empresa comprada pela Fender em 1965 – é sensacional! A Squier se espelhou na linha Stratocaster da Fender para produzir essa linha com preços bem mais acessíveis, o que a torna uma excelente guitarra para iniciantes. 

Esse modelo tem o mesmo visual e leveza da Fender e vale a pena dar uma olhada com carinho. 

Essa Squier que escolhemos, tem 1 captador duplo e 2 simples. È um guitarraço! As novas versões tiveram uma melhora absurda em relação às anteriores e muitos guitarristas dizem não notar muita diferença entre essa e sua versão mais cara. Apesar de ser uma Squier, ela é “Fender” o suficiente para sua diversão.

Preço: R$ 3.600 a R$ 3.850

Tagima TG530

A Tagima vem fazendo bonito com suas guitarras montadas de forma cuidadosa e com preços acessíveis. Essa é da série Woodstock que traz uma versatilidade de timbres e um visual vintage.

Clássico modelo de “entrada” da Tagima, ou seja, é um modelo acessível e voltado para os iniciantes e que não deixa nada a desejar pelo preço que custa.

O corpo no estilo Fender Stratocaster é bastante conhecido pelos guitarristas, portanto, não tem erro. É confortável, leve e macia. Conta com o braço em “C” com 22 trastes e acabamento com verniz “envelhecido”.

Possui 3 captadores simples – single coils – by Tagima e pode ser encontrada nas cores surf green, lake placid blue, metallic red, olympic white, sunburst e black.

Pela combinação preço e qualidade, esta possivelmente é a melhor guitarra para iniciantes que você vai entrar.

Preço: R$ 1.025 a R$ 1.145

Epiphone SG Standard

A SG é uma guitarra que foi eternizada por Tony Iommi do Black Sabbath e Angus Young do AC/DC.

A lendária Gibson adquiriu a Epiphone nos anos 50 e fez o favor de lançar esse modelo por sua subsidiária, tornando essa linha – SG – mais acessível. 

O corpo e o braço são de Mahogany – Mogno. Seu braço arredondado proporciona conforto ao tocar. A guitarra ainda vem com dois captadores humbuckers de alnico – Alnico Classic Pro. 

A Epiphone manteve todas as características da versão mais cara. A diversão é garantida com a equação mágica: visual incrível + braço confortável + fácil acesso às notas mais agudas (por causa do super cutaway*).

*Em tempo: O cutaway é a reentrância no corpo do instrumento.  No caso da SG temos 2: um em cima e outro embaixo.

Preço: R$ 6.195

Tagima Strato Classic New T635

A linha Classic da Tagima se inspira em modelos já consagrados. Essa é baseada na original da Fender, mas com algumas mudanças.

O braço é feito de maple e é um pouco mais largo que o da Fender. A mão tem um formato um pouco diferente, também.

Esse modelo da Tagima conta com dois pivôs na ponte, isso é bacana porque segura mais a afinação.

Essa guitarra vem com 3 captadores simples que se destacam no som limpo – sem distorção.

Curiosidade: Os captadores são de alnico e essa é uma das características do modelo – um lindo som limpo.

Você consegue encontrá-la nas cores black, sunburst, fiesta red, surf green, olympic white, metallic red, white.

Preço: R$ 1.740 a R$ 1.880

Epiphone Les Paul Studio LT

A linha Les Paul é tocada por inúmeros Guitar Heroes e, obviamente, uma gama de iniciantes e iniciados gostariam de poder tocar com um instrumento semelhante. 

Com esse modelo a Epiphone deu uma chance aos guitarristas de adquirirem um instrumento nos moldes clássicos, por um preço bem mais em conta. 

A guitarra vem com 2 captadores Humbucker (2 captadores duplos) o que faz ela ter um timbre rico e encorpado.  Ela tem o shape slim estilo 1960 com um braço mais fino e bem confortável de tocar, o que faz dela uma excelente guitarra para iniciantes

Seja com som limpo ou distorção, ela se sai muito bem e emite perfeitamente o som de Les Paul que se espera ouvir.

Uma listinha que podemos encaixar aqui é: ótimo timbre + design clássico + durabilidade!

Ela é perfeita para quem quer ter um instrumento de qualidade, mas não quer fazer um investimento muito alto.

Preço: R$ 3.149 a R$ 3.278

Ibanez Artcore AS53

Única semiacústica da lista! “Mas ô Resenha Sonora, Resenha Sonooora, o que é uma semiacústica?” Isso a gente te explica mais pra baixo, por enquanto, vamos focar na guitarra.

Ela tem um lindo design, e isso já era de se esperar pois a Ibanez tem um histórico rico em guitarras semiacústicas.

Por causa dos captadores – o maior responsável mesmo é o que está mais perto da ponte – a propagação e o sustain – tempo que o som se mantém presente com continuidade sem que seja interrompido – são excelentes.  

Querendo mudar de timbre basta mudar o seletor de captador e a guitarra passa a ter um som mais quente e aveludado  – menos agudo e com mais corpo.

Essa guitarra tem um center-block que evita que aconteça o feedback. Em outras palavras: ela possui uma parte sólida no corpo que ameniza, e muito, a possibilidade da guitarra apitar – o que acontece bastante com com semiacústicas.

Mas, mesmo com o bloquinho sólido no corpo, não é indicada pra rapaziada do Metal, pois com níveis extremos de distorção, ela vai apitar com certeza.

Preço: R$ 4.190 a R$ 4.350

Ibanez GRG 131DXBKF

Vamos começar já com as características desse axe

Ela possui um braço fino, o que faz dela uma boa guitarra para iniciantes. 

Tem 24 frets (casas), mais do que o normal. Assim, pode-se explorar muito bem as notas mais agudas. O braço confortável foi pensado não só para o guitarrista iniciante mas também para o experiente. Essa característica do braço fino e suave permite ao guitarrista praticar e correr pelas escalas com facilidade.

Os captadores foram feitos para suportar distorção no máximo volume! Os Humbuckers – captadores duplos – presentes na guitarra emitem uma combinação de sons que permitem ao guitarrista uma enorme possibilidade de timbres o que a torna muito versátil – capaz de transitar muito bem entre os diversos gêneros musicais.

Quanto aos controles, são bem simples: um controle de timbre, outro de volume e a chavinha seletora de captadores.

A ponte dela é fixa, isso significa que ela não é uma guitarra com alavanca e ao mesmo tempo segura a afinação por mais tempo.

Preço:  R$2.240 a R$ 2.299

Como escolher a melhor guitarra para iniciantes

Pode-se dizer que tocar um instrumento musical é um dos grandes prazeres da vida. Embora seja gratificante, Isso não quer dizer que não precise de esforço. Se você se dedicar, poderá se tornar um excelente guitarrista e tocar seu instrumento com maestria.

O primeiro passo é a escolha da sua primeira guitarra. Para não ter erro nesse processo, montamos um guia que vai te ajudar a entender como a guitarra é feita e esclarecer diversas dúvidas que podem surgir ao longo do percurso.

Quer escolher a guitarra para iniciantes ideal? Então continua lendo.

Formato do corpo da guitarra

Pode parecer estranho mas a verdade é: apesar da variedade de corpo de guitarras existentes por aí, não é isso que faz o som ser diferente entre elas. Os diferentes moldes de corpo servem primordialmente para conforto do guitarrista, ou seja, cabe unicamente a quem está tocando saber se o formato do instrumento o agrada, tanto visualmente quanto na tocabilidade. 

Os mais icônicos e conhecidos são os formatos da Les Paul – usada por alguns dos melhores guitarristas do mundo como Slash e Jimmy Page – e Stratocaster – eternizada por Jimi Hendrix e Eric Clapton. Mas não são só estes, existem diversos outros formatos de guitarra para todos os gostos. Você vai encontrar até guitarras em forma de “V”, a famosa Flying V – usada pelo Randy Rhoads e Kirk Hammett.

Sólida ou semiacústica

Se você quer ir pelo caminho do jazz, country ou folk, a semiacústica atenderá suas expectativas em relação a timbre.

Características da guitarra semiacústica: clareza no timbre limpo, som aveludado, ressonância e sustain (tempo que o som permanece no ambiente). Ela tem partes do corpo ocas como um violão, o que a deixam mais leve e mais audível que uma guitarra de corpo sólido quando está desplugada – permitindo a prática sem amplificador.

Se o lance é ir pelo caminho do rock, blues elétrico ou metal, a sólida vai te ajudar a chegar mais próximo dos timbres dos seus ídolos. Uma guitarra semiacústica, nesse ambiente de sons com distorção, pode causar dor de cabeça ao marinheiro de primeira viagem. O corpo sólido permite caprichar nos volumes e nas distorções enquanto o semiacústico precisa de mais atenção quando ligado ao amplificador e eventuais pedais de efeito. Falando em amplificador, a guitarra sólida necessita de um para mostrar pra quê veio.

Novamente, aqui vai de acordo com o gosto do freguês. Pense nas músicas, nos gêneros musicais e nos ídolos que você mais ouve e mergulhe. É recompensa na certa!

Tipos de madeira

Em relação às madeiras usadas para fazer a guitarra, você vai encontrar uma gama extensa delas.

Essa é uma discussão “eterna”: o quanto o tipo de madeira é capaz de afetar o timbre da guitarra. O que se sabe de fato é que o peso de cada instrumento varia, e muito, de acordo com a madeira que foi construído.

Guitarra para iniciantes geralmente são feitas com basswood e natowood, madeiras mais em conta e de estrutura menos densa, o que é bom pra reduzir o custo do instrumento, já outras utilizam o mogno (mahogany), que normalmente deixa a guitarra mais pesada. 

Além dessas acima, também costumamos encontrar guitarras com corpos em Alder (Amieiro), Maple (Carvalho) e  Rosewood (Jacarandá). Muitas guitarras usam madeiras distintas na construção do corpo e do braço.

Captadores

Esses são os grandes responsáveis pelos timbres de cada guitarra. Esse aparato é praticamente um imã enrolado em um arame que converte as vibrações das cordas em sinais elétricos e envia esses sinais para o amplificador.

Os mais comuns são os captadores single coil –  vulgarmente conhecidos como “captadores simples” – usados na Telecaster e Stratocaster, e os humbuckers –  conhecidos como “captadores duplos” – usados na SG e Les Paul.

Curiosidade: Existe um tipo de single coil produzido pela Gibson que é o P90. Eles são captadores mais largos que emitem uma sonoridade forte e se encaixam muito bem com blues e rock and roll. Bastante usado nos modelos antigos.

Os single coil geralmente soam mais “magros” (sem tanto corpo), mais “brilhosos” (frequências mais altas) e emitem um sinal menor quando comparados com os humbuckers, fazendo desse captadores uma boa opção para explorar sons limpos. 

Já os humbuckers são mais “quentes” e “cheios” (frequências mais baixas e mais corpo) e por causa da maior emissão de sinal esses captadores conseguem distorcer o som em uma etapa anterior aos single coil. 

Aqui novamente vai aquela máxima: é do gosto do freguês. Apesar do single coil ser mais usado para pop, country e funk e humbuckers para hard rock, rock e metal, vale a pena deixar claro que qualquer gênero musical pode ser tocado por qualquer guitarra e, portanto, qualquer captador – tudo depende de como toca e como quer soar.

Componentes

Se atentar para a qualidade dos componentes faz parte da jornada do guitarrista iniciante e , também, do experiente.

São eles: captadores, ponte, trastes, carrinhos, tarraxas, controles de volume, chave seletora de captadores e o jack – parte que conecta-se o cabo que leva o som para o amplificador.

Os componentes merecem sua atenção. Eles trazem uma melhoria incremental para sua guitarra: quanto maior a qualidade dos componentes, maior a durabilidade e melhor o som do seu instrumento.

Deixar esses dispositivos sempre em bom estado, mantém o som da sua guitarra fiel ao de fábrica. Investir em melhores componentes, inclusive, diminui seu custo de manutenção ao longo dos anos. 

Trastes

Essas “divisórias” do braço da guitarra, apesar de não parecer, também importam no som da sua guitarra. Se o traste desgastar pode impactar na afinação do seu instrumento e você não quer isso. 

Os trastes podem ser feitos de: níquel-prata (mais comum hoje em dia), inox ou bronze/latão. Podem ser também: finos, médios ou jumbos.

Os trastes mais largos favorecem técnicas de guitarra como tapping, legato e corridas pelas escalas. Já os finos são mais confortáveis para fazer acordes.

Dica: Fique de olho na oxidação. As cordas da guitarra se tornam mais abrasivas quando enferrujam e com o tempo isso pode desgastar os trastes que eventualmente vão fazer com que sua guitarra desafina mais facilmente. 

Pontes

A ponte é uma peça metálica que fica no corpo do instrumento. Ela pode ser fixa, hardtail, bigsby, flutuante, vibrato ou tune-o-matic

Ponte vibrato ou tremolo: Possui uma alavanca que pode ser removida. A função da alavanca é mudar a sonoridade da nota – faz com que ela atinja notas acima ou abaixo da que está sendo produzida inicialmente. Com esse tipo de ponte, as cordas devem ser colocadas por dentro do corpo da guitarra

Ponte fixa: Presa por parafusos e se mantém no lugar pela ação das cordas que passam sobre ela. A afinação nesse tipo de ponte tende a permanecer correta por mais tempo. 

Existem dois tipo de ponte fixa: Tune-o-matic e hardtail.

Tune-o-matic: As cordas são colocadas e presas na própria ponte – que é fixa.

Hardtail: As cordas passam por pequenos furos do corpo da guitarra. Elas entram pela parte de trás do corpo.

Ponte flutuante: Esse tipo de ponte vem com um sistema de microafinação junto. A ponte flutuante permite à alavanca alcançar um intervalo maior quando comparado à alavanca da ponte vibrato. A microafinação é responsável por segurar a afinação enquanto você desloca a ponte pra frente e pra trás – na ponte vibrato a afinação pode ser prejudicada.

Um exemplo de ponte flutuante é a ponte Floyd-Rose. 

A Bigsby por ser mais vintage, oscila menos do que a Floyd-Rose e também não segura tanto a afinação. No Brasil há quem considere a Bigsby uma ponte flutuante, já outros consideram uma ponte vibrato.

Quanto se deve gastar em uma guitarra para iniciantes?

Conseguir achar a melhor guitarra para iniciantes significa botar na balança tudo que comentamos até agora. Obviamente quanto mais você pagar, maior é a chance de encontrar melhores componentes, por exemplo: captadores que oferecem melhor definição do som, melhor qualidade das tarraxas e por aí vai. 

Na nossa lista ali de cima, escolhemos guitarras de excelente qualidade. A faixa de preço varia de (aproximadamente) R$1.000,00 a R$7.000,00. Você definitivamente não precisa gastar mais do que isso para adquirir sua primeira guitarra.

A maioria das pessoas não está afim de gastar muito nesse início então, como você será a pessoa que vai tocar a guitarra, a escolha tem que ser boa o suficiente pra te inspirar a pegar o instrumento para praticar. É importante que o instrumento seja confortável de tocar e que te atraia visualmente. Nesse início também é importante pensar em uma guitarra versátil – capaz de se adaptar ao maior número de gêneros musicais possíveis. 

Esse é, definitivamente, um quesito para se levar em consideração: tenha em mente quais gêneros musicais você gostaria de tocar, quais são os seus ídolos e que modelo de guitarra eles usam.

Marcas que fazem as melhores guitarras para iniciantes

As marcas que fazem as melhores guitarras para iniciantes são exatamente as que enumeramos lá em cima na seleta lista das top 10 melhores guitarras para iniciantes. Somente entraram na nossa lista guitarras de extrema qualidade, durabilidade e preços justos.

Como testar uma guitarra para iniciantes

Depois que tudo que leu até aqui, deve estar se perguntando como faz para testar e comprar a sua primeira guitarra.

Geralmente, temos um modelo de corpo que nos agrada mais. Seja um modelo de Stratocaster ou Telecaster da Fender/Squier, seja uma SG ou uma Les Paul da Gibson/Epiphone, seja um corpo sólido ou semiacústico… tudo depende do seu gosto.

Checar a qualidade do corpo da guitarra e dos seus componentes, conectar a guitarra no amplificador e perceber os timbres que consegue explorar e como soam aos seus ouvidos, são etapas cruciais na escolha da sua guitarra para iniciantes. 

Perceba como o braço encaixa na sua mão e se acha a guitarra agradável de tocar. Verifique se a afinação se mantém após alguns minutos de acordes e/ou solos.

Todos esses pontos são importantes para serem vistos e revistos no momento da sua seleção e compra. Caso esteja ansioso para adquirir sua guitarra e não se sinta seguro para testá-la, volte à nossa lista pois todas elas têm sonoridade e qualidade adequadas para serem sua primeira guitarra.

Curiosidades (Perguntas Frequentes)

Por que a guitarra desafina?

Aqui temos alguns fatores a serem levados em conta: 

Cordas novas: até as cordas se acomodarem, o que leva alguns minutos, tendem a desafinar. Depois de afinadas pela primeira vez, a própria tensão faz com que cedam um pouquinho, que é o suficiente para causar incômodo ao seus ouvidos – desafinação.

Armazenamento incorreto: Deixar a guitarra jogada de qualquer jeito pode desafinar o instrumento. O peso do instrumento junto com a tensão da corda podem empenar o seu instrumento e causar uma desafinação mais grave – precisará levar ao luthier para consertar esse acidente. Recomendamos o uso de suporte – de chão ou parede – e bags.

Variações de temperatura: A exposição a variações extremas ou bruscas de temperatura podem causar oscilações no material da sua guitarra e causar desafinação.  

Estado do instrumento: As cordas enferrujadas ou o braço empenado do seu instrumento podem causar desafinação.

Transporte do instrumento: Caso não sejam tomados os devidos cuidados a sua guitarra pode sofrer avarias no percurso e danificar, causando desafinações – talvez até permanentes – então, cuidado!

Qualidade do material do instrumento: Tarraxas e pontes de má qualidade podem causar desafinações por não segurar a afinação das cordas.

Qual a melhor idade para iniciar na guitarra?

É agora, sem dúvida! Não existe idade ideal. Existe vontade de aprender. Não importa a idade. 

Caso não tenha tido a oportunidade de iniciar cedo, não se importe com isso. Nunca é tarde para aprender.

Devo começar primeiro no violão?

O único quesito que talvez entre em consideração aí é preço. Realmente o violão, em média, é mais barato e assim como a guitarra, existe uma gama deles para iniciantes. Dê uma olhada na nossa lista de violão para iniciantes.

Apesar de terem semelhança como número de cordas e afinação, os instrumentos são diferentes. O “tocar” do violão é diferente do “tocar” da guitarra. A pegada do violão é diferente da pegada da guitarra.

Em suma: as técnicas são diferentes!

Se é guitarra que você quer tocar, é guitarra que você precisa.

Guitarra para iniciantes: aprendendo a tocar

Aqui segue um passo a passo para você sair do zero. Esse guia vai te ajudar, mas o que você precisa para ser um exímio guitarrista é de bastante estudo e consistência.

Mas como queremos que você comece a tocar algumas músicas o quqnto antes, incluímos mais embaixo um “macete” que seu professor não irá lhe ensinar. Segue com a gente…

Numeração dos dedos

Você terá letras para a mão que segura a palheta e/ou dedilha o instrumento – e números para a mão que faz os acordes e/ou solos.

Mão dos acordes:

  1. Indicador
  2. Médio
  3. Anelar
  4. Mínimo.

Mão do ritmo:

  • P – Polegar
  • I – Indicador
  • M – Médio
  • A – Anelar

É importante que saiba as letras que representam o som de cada uma das cordas da sua guitarra: E-A-D-G-B-E.

  • E – Mí – 6ª corda (a mais grossa)
  • A – Lá – 5ª corda
  • D – Ré – 4ª corda
  • G – Sol – 3ª corda
  • B – Si – 2ª corda
  • E – Mi – 1ª corda (a mais fina)

Como afinar sua guitarra

Geralmente todo iniciante tem dificuldade para afinar, mas felizmente, hoje em dia, existem diversos aplicativos de celular para ajudar. Pesquise por afinador de violão/guitarra na internet e já foi. 

Se não tiver querendo ocupar espaço no celular com aplicativos de afinação, você pode fazer isso pelo computador. Basta ter um microfone acoplado no seu laptop, ou desktop, para o afinador online entender que nota você está tocando e te mostrar se deve afrouxar ou apertar a tarraxa – ligue seu amplificador! 

Mas se não tiver um microfone acoplado, não tem problema, estamos aqui pra te ajudar! Você tem a opção de botar o seu ouvido para trabalhar. Basta dar uma olhada nessa lista que botamos ali em cima – que ordena e mostra qual letra representa qual corda – e combinar com o som indicado pelo site. O nome dessa técnica é “afinação de ouvido”.

Por último e mais trabalhoso, você tem a opção de afinar corda por corda. Com um diapasão – instrumento que geralmente emite a nota LÁ – você vai igualar o som da sua quinta corda ao que está ouvindo.

A regra aqui é a seguinte: 

  • Passo 1: Igualar o som do diapasão ao da quinta corda do sua guitarra 
  • Passo 2: Igualar a 5ª casa da 6ª corda ao som da 5ª corda solta.
  • Passo 3: Igualar a 5ª casa da 5ª corda ao som da 4ª corda solta.
  • Passo 4: Igualar a 5ª casa da 4ª corda ao som da 3ª corda solta.
  • Passo 5: Igualar a 4ª casa da 3 corda ao som da 2ª corda solta.
  • Passo 6: Igualar a 5ª casa da 2 corda ao som da 1ª corda solta.
  • Passo 7: Checar se a nota da 1ª corda está “igual” ao da 6ª corda.

Guitarra afinada!

Além desses métodos para afinação do instrumento, há tempos existem pedais de afinação.

E a última novidade foi um afinador em forma de clip. Esse se prende na mão da guitarra, perto das tarraxas, e por vibração informa se é necessário apertar ou afrouxar a corda.

Power Chords

Power Chords!! Três dedos em ação. Só. 

Seus acordes reduzidos a três dedos com um punch – impacto – que só ele causa. Os Power Chords transmitem sensação de peso e sua técnica permite tocar – quase – qualquer música na guitarra. 

Ele é um acorde simplificado, como foi dito acima, e sua fácil execução permite uma aceleração no método de aprendizado da guitarra. Excelente técnica para guitarristas iniciantes. 

Apesar de serem usados três dedos para fazer o acorde, uma nota é repetida. As notas que soam no power chord são: (1ª) Fundamental + (5ª) quinta justa + (8ª) oitava. 

A representação do Power Chords nas tablaturas e cifras é feita com um 5 ao lado do acorde a ser feito, por exemplo: C5 é um Dó Power Chord.

Uma listinha básica para você entender a correspondência de letra e acorde: 

  • C5: Dó Power Chord
  • D5: Ré Power Chord
  • E5: Mi Power Chord
  • F5: Fá Power Chord
  • G5: Sol Power Chord
  • A5: Lá Power Chord
  • B5: Si Power Chord

Abaixo seguem as posições dos dedos para fazer os Power Chords para cada acorde desejado:

Com palheta ou sem palheta?

A grande diferença aqui será no volume emitido pela guitarra. Com a palheta o som é mais alto.

Normalmente, é preferível tocar músicas dedilhadas sem palheta e usar a palheta somente para músicas mais energéticas – tocadas por batidas.

A palheta pode ser segurada do jeito mais confortável para você.

Dica inicial: use-a entre seu indicador e polegar, como se fosse uma pinça ou um hashi – depois você vai ajustando do jeito que quiser.

Diversos guitarristas misturam os dois estilos: tocam músicas com palheta e no momento do solo utilizam os dedos, outros gostam de usar a palheta entre o polegar e o indicador e de vez em quando utlizar o dedos médio e anelar para outras sonoridades ou técnicas, tem aqueles que utilizam somente os dedos e outros somente a palheta. 

Novamente, é do gosto do freguês. Depende do que é mais confortável para tocar sua guitarra.

Antes de terminar…

Muitas vezes, quem está começando tem a curiosidade de saber qual é a melhor guitarra do mundo. Sabendo disso, preparamos um artigo completo sobre o assunto. Dá uma lida!

Posts relacionados

Deixe um comentário