Pesquisar
Close this search box.

Nome das cordas do violão: O guia definitivo

Conheça o nome das cordas do violão e memorize de manera simples. Entenda a ordem das cordas e como isso vai te ajudar no aprendizado.
Nome das cordas do violão

Saber o nome das cordas do violão e os números de cada uma delas é importantíssimo no momento da afinação, de fazer acordes e de ler tablaturas. O instrumentista precisa ter esse conhecimento pra poder se virar no dia a dia com seu violão e/ou sua guitarra.

Ao iniciar o aprendizado do instrumento é comum ter dificuldade pra memorizar e aqui no Resenha Sonora vamos dar uma mãozinha pra esse processo ser mais rápido e prazeroso.

Neste artigo você vai ler:

Então, vamos ao que interessa…

Quais é o nome das cordas do violão?

Normalmente, um violão tem 6 cordas e na afinação tradicional (ou padrão) as cordas têm os seguintes nomes – indo da mais grave para a mais aguda: E, A, D, G, B, E.

Se quiser saber as notas que cada letra representa, aqui vai: E(Mi), A (Lá), D(Ré), G(Sol), B(Si), E (Mi).

A afinação padrão é usada pela maioria dos guitarristas e violonistas, e outras afinações usadas com frequência – falaremos de algumas mais abaixo – podem ser entendidas como variações ou derivações da afinação padrão.

Indo para um lado mais técnico da coisa, os violões são tipicamente afinados em uma série de quartas perfeitas ascendentes e uma única terça maior. 

Traduzindo: A 5ª casa de cada corda deve ter o mesmo som da corda solta logo abaixo. Essa dinânica vai se repetindo corda a corda. A única exceção é entre a 2ª(B) e 3ª(G) cordas…Nesse caso, a 4ª casa (e não a 5ª casa) da 3ª corda é que deve soar como a 2ª corda solta.

Ordem das cordas do violão

Algumas pessoas, ou até instrutores, gostam de chamar as cordas por números e, para que não haja confusão, saiba que são ordenadas da mais fina (a 1ª) para a mais grossa (a 6ª) – em outras palavras, do calibre menor pro calibre maior.

As três mais graves são chamadas de “bordões” e as três mais finas de “primas”. 

Abaixo segue a ordem das cordas do violão (e seus nomes):

  • 6ª corda: E (MI) – carinhosamente chamado de “mizão”
  • 5ª corda: A (LÁ)
  • 4ª corda: D (RÉ)
  • 3ª corda: G (SOL)
  • 2ª corda: B (SI)
  • 1ª corda: E (MI) – carinhosamente chamada de “mizinha” 

Porque as cordas são numeradas debaixo para cima?

Pode surgir uma dúvida do porquê as cordas são numeradas de baixo pra cima – no braço do violão – e isso  parece muito contra-intuitivo e é muito confuso para quase todo estudante de violão iniciante e muitas vezes causa engano.

Oras, mas porque essa “doideira”?

O que você naturalmente presumiria ser a primeira corda (a corda mais grossa) é na verdade conhecida na anatomia do violão como a sexta corda.

Pra você nunca mais esquecer: lembre-se que 1 é o menor número e ele representa a corda mais fina (de menor espessura ou calibre) e a contagem vai subindo, até chegar ao maior número que representa a corda mais grossa (de maior espessura ou calibre).

Deu uma facilitada, né?

Calibre das cordas

Além do nome das cordas do violão, é importante entender sobre o calibre delas – assunto que comentamos alí em cima  e vamos explicar melhor agora. 

O calibre de uma corda é a espessura que ela tem. O jogo de corda é “chamado” pelo número de seu calibre e ele se refere sempre a espessura, ou calibre, da primeira corda (a mais fina). 

 “Vou comprar uma 010 – zero dez – pro meu violão de cordas de aço”, por exemplo, está querendo dizer que o instrumentista pretende comprar um jogo de cordas que tem a “mizinha” com 0.010 polegadas de diâmetro. À medida que o número da corda aumenta, o calibre acompanha.

O encordoamento clássico de nylon, por exemplo, segue a seguinte ordem: 0.0285 / 0.0327/ 0.0409/ 0.030 / 0.036 / 0.044. 

Hoje em dia existem encordoamentos híbridos, que pegam “emprestados” os bordões de calibres mais pesados e as primas de calibres mais leves  – nesse caso as três cordas de baixo, ou mais agudas, são mais finas e as três de cima, mais graves, são mais grossas – dentro das disponibilidades. 

Os jogos de violão de aço e nylon também podem ter uma pequeníssima diferença no calibre das cordas do meio – mas quando vir a numeração do encordoamento, saiba que a referência é a ‘mizinha’, ou 1ª corda. 

Vale a pena ressaltar que há variedade no material que se faz corda, as possibilidades são: nylon, aço, bronze e níquel.

Nome das cordas do violão de 7 cordas

Existem vários tipos de violão, e no violão de 7 cordas existe uma questão de tradicionalidade e estilo. O mestre Dino 7 cordas usava a 7ª corda afinada em C (DÓ). Depois dele, o pessoal que faz o acompanhamento rítmico-harmônico passou a usar a mesma afinação que Dino e o violão ficou responsável por conduzir os baixos dos acordes – baixos são as notas graves da harmonia – e ornamentos para mais interesse melódico. 

Em tempo: Se quiser galgar um lugar ao sol junto com o mestre Dino 7 cordas, vai ter que ralar bastante com o instrumento – dedicação é a chave.

O nome das cordas do violão de 7 cordas com essa afinação são:

  • 7ª corda: C (DÓ) – a mais grave
  • 6ª corda: E (MI) 
  • 5ª corda: A (LÁ)
  • 4ª corda: D (RÉ)
  • 3ª corda: G (SOL)
  • 2ª corda: B (SI)
  • 1ª corda: E (MI) – a mais aguda

O que é corda aberta?

Como violinista iniciante, é interessante saber esse conceito de corda aberta. É bem simples, corda aberta significa tocar a corda sem pressionar nenhuma casa do violão. Por exemplo, a 5ª corda aberta é um Lá. 

O interessante é que depois de um tempo de prática, o instrumentista acaba percebendo a diferença entre tocar uma corda aberta e uma mesma nota apertada. Quando apertamos uma corda contra o traste, estamos diminuindo a porção vibrante da corda – e isso altera o som. 

Faça o teste: toque a 5ª corda aberta e ouça a vibração e o som, em seguida toque a 5ª casa da 6ª corda  (que também é um Lá) e ouça a vibração e o som. 

Lembre-se que na 12ª casa, a nota é uma oitava acima (a mesma nota só que mais aguda) da corda aberta, ou seja, a 12ª casa da 1ª corda na afinação clássica é um E(Mi) – uma oitava acima da 1ª corda aberta E(Mi). Faça o teste e ouça com atenção. 

Notas do violão pelo braço do instrumento

Agora que você já conhece o nome das cordas do violão, esse imagem aqui embaixo vai ajudar você a dominar mais facilmente as notas pelo braço do instrumento. As notas na guitarra seguem a mesma lógica, assim como no baixo e outros instrumentos de corda, tudo depende da afinação inicial.

Afinações

Existem diversas afinações possíveis. Por que isso? Bom, acho que podemos simplificar em dois pontos:

  • Para soar melhor: Quando afinamos de maneira diferente nossos instrumentos, nos permitimos novos voicings – novas possibilidades de formação de acordes – isso acaba mudando o som do instrumento e o jeito como o instrumentista soa. Ficar “brincando” com afinações diferentes pode resultar num jeito único de tocar – a famosa identidade do instrumentista. 
  • Para ficar mais fácil. Mudança na maneira de tocar os acordes pode torná-los mais fáceis para alguns – podem ser usados formatos mais simples de se fazer um acorde. Outro benefício é a adaptação do tom para mais facilidade ao cantar, por exemplo, muitos artistas costumam ir para afinação bemol, ou seja, todas as cordas um semitom abaixo, para ficar mais confortável para a voz com o passar da idade.

Importante: Não importa que afinação escolha, tenha sempre um bom afinador do seu lado.

Tipos de afinação

Quando você começar a tocar violão, provavelmente começará a aprender a tocar acordes e escalas na afinação tradicional ou padrão. Esta é a mais usada para afinar as cordas do seu violão e a que citamos ali em cima. 

Embora a afinação padrão seja a mais comum para a maioria dos instrumentistas, é importante saber que existem outras afinações alternativas que podem ser exploradas e abrirão um novo mundo sonoro pra você.

Importante: Não queremos confundir sua cabeça com uma enxurrada de informações. Essa parte do artigo é apenas para fins complementares. Assim, vamos somente citar alguns outros tipos de afinação e dar uma breve descrição sobre elas.

  • Afinação Drop D: A afinação Drop D é uma das afinações alternativas mais fáceis de aprender. Ele altera a afinação de apenas uma corda, ajustando a nota da corda mais grave. Assim, ela só vai mudar um nome das cordas do violão. Elas passarão a ser – da mais grave para a mais aguda: D(Ré)-A(Lá)-D(Ré)-G(Sol)-B(Si)-E(Mi)
  • Afinação D(Ré) aberto: Na afinação Ré aberto, seu violão soará com um acorde D (Ré) aberto quando você dedilhar todas as seis cordas soltas. A afinação Ré aberto altera a afinação de todas as seis cordas da guitarra, exceto duas. O nome das cordas do violão nessa afinação passa a ser – da mais grave para a mais aguda: D(Ré)-A(Lá)-D(Ré)-F# (Fá sustenido)-A(lá)-D(Ré).
  • Afinação Drop C: A afinação Drop C recebe esse nome porque essa afinação exige que você afine sua corda E(Mi) mais grave para C(Dó). No entanto, ao contrário da afinação Drop D, que exige apenas que você mexa numa única corda, a afinação Drop C exige que você baixe todas as demais cordas em um tom. O nome das cordas do violão nessa afinação passa a ser: C(Dó)-G(Sol)-C(Dó)-F(Fá)-A(Lá)-D(Ré).

Existem ainda outros tipos de afinação, mas isso a gente deixa para um artigo à parte.

Cordas para violão

Lembre-se: há uma variedade de cordas, como falamos acima. Aço, nylon, diferentes calibres e, inclusive, calibres híbridos. Abaixo seguem alguns fabricantes de cordas de nylon e aço:

Cordas de Nylon

D’Addario

Essa empresa está no mercado há tempos. As cordas são ótimas para todo mundo: iniciantes, estudantes e profissionais. 

O jogo de cordas tem as primas de nylon e os bordões em prata – resultando no equilíbrio da projeção do som e timbre quente. São super duráveis. Não tem bolinha nas extremidades.

SG

Famosa no mercado de violão e guitarra, a SG mantém a qualidade há mais de um século – isso mesmo! 

Fundada em 1918 a empresa conta com a presença de musicos em todos os produtos: é aquele famoso ditado “de músicos para músico”. As cordas SG Classical tem grande aceitação no ramo musical – são utilizadas nos gêneros Samba, Rock, MPB, Bossa, Pop…

A linha SG Classical foi projetada para trazer equilíbrio no timbre e sensação tátil suave. As, primas por serem feitas de nylon cristal, tem agudos mais brilhantes e os bordões por serem em bronze, tem graves encorpados. 

Em tempo: Essa série vem com bolinha na pontinha das cordas.

Giannini

Empresa clássica brasileira, famosa para todos que tem um instrumento. A Giannini também fabrica instrumentos, além de cordas.

O encordoamento Giannini Clássico Tensão Média, vem com bordões em bronze prateado e primas em nylon cristal. Boa projeção de som unida a durabilidade. 

O jogo tem calibre 0.028 // 0.041.

Cordas de aço

D’Addario

A D’Addario tem cuidado com seus clientes. Apesar de serem cordas de aço, a empresa pensou em como fazer um calibre ‘light’ pros dedos dos instrumentistas. 

Apesar de ser de calibre 0.010, ela é bem suave aos dedos. Excelente som com ótimo sustain – sustain é o tempo que a nota vibra após ser tocada. Timbre brilhante, durabilidade, resistência e estabilidade de afinação. Prato cheio! 

Elixir

A história da Elixir é curiosa. Os caras estavam trabalhando para desenvolver uma melhor variedade de cabos de tração e contração (push-pull) e acabaram tendo a idéia de revestir as cordas com PTFE – o som inicialmente ficou horrível.

Continuaram pesquisando e chegaram na fórmula ideal. Hoje em dia, guitarristas e violonistas do mundo todo usam as cordas – que estão a menos de 2 décadas no mercado. 

Desenvolveram uma tecnologia para cordas de guitarra e outra para o violão de aço – chamada NANOWEB. É um revestimento ultrafino que protege a corda.  

O timbre é vivo e cristalino, e apesar de ter um calibre alto – 0.011 – o encordoamento foi desenvolvido para dar leveza aos dedos sem perder o corpo sonoro promovido pela espessura das cordas.

SG

A SG Acoustic preza pelos dedinhos dos consumidores. Esse encordoamento de calibre 0.010//0.047 tem tensão light e é feito para músicos que não utilizam muita pressão nas mãos ou que prefiram uma sonoridade quente e suave. 

As cordas soam bem tanto nos acordes quanto nas melodias soladas. Timbre brilhante, durabilidade e projeção sonora. 

Cordas primas em aço estanhado cilíndrico; bordões  com revestimento de bronze e núcleo hexagonal de aço estanhado. Isso tudo resulta em equilíbrio sonoro. Muito indicada para sonoridade folk. 

Antes de ir embora…

Como toda jornada, o importante é a consistência. E tocando direto, uma coisa é certa: você vai começar a ter calos. 

Por isso, no início, pode ser legal e mais amistoso aos dedos um encordoamento de nylon e à medida que os calinhos forem se desenvolvendo, passar para um violão de aço. Será uma transição suave. 

Se pretende começar de cara em um violão com cordas de aço, inicie com um calibre mais baixo, 0.009 por exemplo. Depois que surgirem os calos, aumente o calibre para testar novos timbres. 

Quanto maior o calibre mais cheio e nítido é o som, no entanto, mais força na pegada e mais calinhos nos dedos.

Possuindo um violão de aço, é interessante ter alguns acessórios para preservar por mais tempo suas cordas, como um limpador e lubrificante.


Atenção: Não use cordas de aço em um violão para cordas de nylon, pode danificar seu instrumento.

Posts relacionados

2 comentários em “Nome das cordas do violão: O guia definitivo”

Deixe um comentário