Pesquisar
Close this search box.

Violão bom e barato: Os 8 melhores a preços acessíveis

Achar um violão bom e barato pode ser uma tarefa complicada. Pra facilitar sua vida, fizemos uma varredura e encontramos os 8 melhores.
Violão bom e barato

Durante bastante tempo músicos evitavam instrumentos baratos porque o preço, até então, era um fator importante na escolha dos instrumentos, ou seja, se fosse caro, mais provável que o violão fosse bom. Era praticamente impossível encontrar um violão bom e barato.

Felizmente não é mais o caso. Bom demais, né?  

Nos últimos anos, com o avanço da tecnologia, houve uma grande evolução na qualidade dos instrumentos de menor preço. 

Agora, além dos violões soarem bem, o preço cabe no orçamento da galera. 

Obviamente, caro e barato são adjetivos relativos. Então o que a gente fez foi listar apenas os instrumentos abaixo de R$1200 e avaliar o violão holisticamente: qualidade, timbre, aparência e pegada. 

Fizemos um artigo completo que vai te ajudar a encontrar um violão bom e barato que, além de atender as suas necessidades musicais, não vai prejudicar o seu bolso. Nesse texto você vai ver:

Dá uma olhada na nossa listinha – ela contempla diferentes tipos de violão – e checa nossa sessão de perguntas e respostas – pode ajudar ainda mais com algumas dicas sobre dúvidas frequentes!

A lista dos 8 melhores violões bons e baratos

Giannini Start N-14

A Giannini é uma marca tradicional aqui no Brasil. Há anos no mercado e renomada no mundo dos violões. 

Esse modelo vem de uma série voltada para quem está começando, mas não se engane, serve a todos. 

O Start N-14 da Giannini chama atenão pela relação custo-benefício. A Giannini fez de fato um violão bom e barato.

Ele foi feito para comportar cordas de nylon, as tarraxas são de pino grosso niquelado para manter a afinação. 

O tampo, a faixa (lateral) e o fundo são em basswood. A característica sonora dessa madeira é o grave equilibrado e agudo pronunciado – a consequência disso é a versatilidade. Cor e formato clássicos de violão.

A, escala é em sabina maciça, possui 19 trastes em alpaca e o acabamento é em verniz brilhante. O braço possui um tensor bi-direcional; acontecendo algum imprevisto que desregule o violão, o tensor pode ser acionado para regular o instrumento. A chavinha do tensor vem com o instrumento.

Importante: Sempre recomendamos que consulte um luthier antes de mexer no seu instrumento.

O instrumento é leve, macio, de boa qualidade e confortável para levar um som. O braço é largo mas é confortável de se tocar. É uma excelente aquisição para quem está procurando um violão de qualidade e a um preço baixo.

Yamaha C40MII

A Yamaha se empenhou em fazer um excelente violão pra rapaziada que está começando, mas sem esquecer do pessoal que já toca o instrumento. 

O Yamaha C40MII foi feito pensando no conforto do músico. A qualidade é excelente e a sonoridade também.

O violão é leve, no entanto não pense que isso é fragilidade, pelo contrário, esse instrumento é durável. O tampo é em abeto, o fundo e as laterais são em meranti – tudo laminado. 

A ponte e a escala são em rosewood ebanizado e o braço é feito em nato – mogno asiático.

Nomes estranhos, né? O importante é que são madeiras de qualidade. 

Uma vantagem bacana é que esse violão de nylon é mais suave nos dedos do que um de aço. Pra rapaziada que está começando e não tem calos, é mais vantajoso começar nessas cordas macias. Conforto é o nome do jogo. 

Olhando pelo prisma sonoro do instrumento, tem-se um som suave com ênfase nas frequências médias. A conclusão que temos ao tocar esse Yamaha C40MII é que os engenheiros conseguiram maximizar –  extraíram tudo que podiam do –  timbre e  tocabilidade do instrumento. 

A diferença do C40MII para o C40II é somente o acabamento fosco. O acabamento acetinado, da versão que escolhemos, proporciona um tato mais refinado, agradável e suave.

Violão bom e barato que você quer? Essa é uma excelente opção.

Harmonics Gs11

A Harmonics fez esse violão pensando em entregar preço baixo e qualidade alta. 

Sem enrolação, vamos aos detalhes: o braço do violão é fino, bom pra pegada e facilita melodias e acordes. Conforto ao tocar. As cordas utilizadas nesse violão são de aço. As tarraxas são justas – ótimo para afinação do instrumento. 

O tampo é em lindem, a escala é em acer plywood e o braço em nato. Não entendeu nada? A gente explica: são materiais que vão fazer seu violão soar bem e ajudar no conforto ao tocar.

O som emitido pelo violão fica pelas frequências médias-agudas e agudas. Para quem curte fazer solos e explorar melodias, é uma boa pedida. Além disso, o Harmonics Gs11 também tem uma boa projeção sonora. Bom sustain – duração que o som permanece vibrando.

É uma marca de violão que vem ganhando espaço e essa opção de violão bom e barato pode cair como uma luva para quem busca um bom retorno com baixo investimento.

Strinberg SD200C

Primeiro violão eletroacústico da nossa lista é da Strinberg.

Já que começamos pelo quesito diferencial até então, vamos comentar mais um pouco sobre isso: o Strinberg SD200C vem com um equalizador, um afinador e ainda conta com mais três controles – Phase, Notch e Presence

O notch é um filtro que ajuda a eliminar a realimentação – evita feedback. O phase é responsável por inverter a fase do som – caso haja um ruído ou até microfonia, a inversão pode te salvar. O presence dá mais brilho ao som. 

A acústica desse violão é ótima – permitindo uma boa propagação do som. O corpo e o tampo são em spruce e a escala em rosewood

As tarraxas têm boa qualidade, são cromadas, não permitem nenhum tipo de folga – isso é ótimo para afinar o instrumento. 

A estrutura e a construção do violão são muito boas. É um instrumento durável e tem um preço acessível.

Michael VMF361

Primeiro violão Folk a figurar na nossa lista e esse ainda tem um cutaway – reentrância na madeira que facilita o acesso às notas mais agudas do instrumento. 

O Michael VMF361 foi feito pensando no iniciante, mas não decepciona quem já toca exatamente pela qualidade e preço. 

Esse violão é elétrico, ou seja, pode ser tocado com e sem amplificador. Ele é feito de madeiras leves e de boa sonoridade. Tem o timbre equilibrado e boa projeção sonora. 

O tampo, a lateral e fundo são em linden e a escala em walnut wood. O instrumento ainda vem equipado com um Piezo – captador que garante boa qualidade do sinal, sem ruídos ou distorções.

O equalizador conta com controles de: grave, médio, agudo, volume e afinador cromático – para deixar a afinação tinindo. 

Ainda conta com um tensor bi-direcional ou dual action, que permite o ajuste do braço caso haja alguma desregulação.

Em tempo: consulte sempre um luthier para regular seu instrumento.

Yamaha C70

Violão clássico da Yamaha! 

Por ser um violão de nylon clássico, tem aquelas características conhecidas: suavidade da corda de nylon, tensão da corda diferente quando comparada à de aço, braço um pouco mais largo e cada notinha tem um quê de percussão.

Os atributos do Yamaha C70 não são diferentes dos oferecidos pela empresa em outros instrumentos: qualidade na construção e consistência estão presentes aqui também. 

O violão oferece boa projeção e timbres balanceados, isso porque a Yamaha usou o mesmo tipo de corpo que usa em seus violões mais caros. 

O tampo é em spruce, o corpo em meranti, o braço em nato e a escala em rosewood. Resumindo: o instrumento é leve e confortável de tocar. 

Vale a pena ressaltar novamente: a qualidade da construção resulta em durabilidade. Se você procura um violão de nível profissional para te acompanhar na jornada musical, já achou.

Tagima Memphis AC60

Mais um violão eletroacústico na nossa listinha. Esse é da linha Memphis que tem a “assinatura” da Tagima, fabricante que a cada ano que passa se torna mais respeitada no cenário musical nacional e internacional. 

Esse modelo Memphis AC60 tem um cutaway – reentrância na madeira do corpo do instrumento que permite o acesso às notas mais agudas do violão – e cordas de nylon. A amplificação do instrumento é possível por causa do Piezo – captador que garante um bom sinal; sem ruídos ou microfonia. 

Em tempo: o captador Piezo é o MEQ-4 e o equalizador é o MEQ-4 Memphis. 

O violão é feito de madeira linden no tampo, na lateral, no fundo, no braço e a escala é feita em tech wood – madeira sintética. Essa madeira é uma boa alternativa para poder reduzir o preço final do instrumento – geralmente é usada com esse intuito – já que a qualidade do som é similar. 

O violão é indicado para quem já toca e também para quem está comecando a estudar violão. O preço é bem acessível, um dos mais baratos do mercado. 

O som é encorpado e tem a suavidade característica dos violões de nylon. Por se tratar de um violão relativamente leve, é um ótimo companheiro de viagem.

Tagima Dallas

A Tagima, que tem o mestre Márcio Zaganin – considerado um dos melhores luthiers do Brasil – à frente do controle de qualidade, vem detonando a concorrência gringa e nacional. 

A empresa aposta alto em pesquisa e desenvolvimento, para fazer frente com as grandes marcas internacionais – e tem feito bonito. 

O modelo eletroacústico Dallas, tem design moderno, cordas de aço e conta com um cutaway – reentrância no corpo do instrumento que permite acesso às notas mais agudas com mais facilidade. O desenho do braço deixa o playing confortável, o que contribui para melhor performance do músico. 

O braço do Tagima Dallas é feito em okoume, com tampo em sapele, assim como a lateral e o fundo. A captação é feita pelo Piezo – captador cujas características são manter o bom sinal, evitar ruídos e microfonias. 

O equalizador é composto por 5 controladores e 1 afinador: volume, grave, médio, agudo e presence.

Em tempo: presence é o realce que podemos dar aos agudos. O equalizador e o pré são TEQ-8.

 As tarraxas são cromadas e o shape do corpo é Folk.

A sonoridade acústica do Tagima Dallas é muito boa! Um fator que conta para a boa propagação do som, além das cordas de aço, é sua caixa acústica. O resultado é um bom sustain – tempo que o som permanece vibrando depois da nota ser tocada. 

Se quiser um volume mais alto é só amplificar! Ele é pronto e feito para isso.

Perguntas Frequentes sobre violão bom e barato:

Como comprar um violão barato e de boa qualidade?

Os pontos principais para se preocupar na busca de um violão bom e barato são: timbre, acústica e pegada. 

Se atente a essa dica: quanto maior o corpo do violão, mais alto é o som. 

A madeira usada na feitura do violão também tem um papel importantíssimo. O mogno, por exemplo, é responsável pelo som maduro e suave, já o maple emana sons nítidos e brilhosos.

Qual o melhor violão barato?

O avanço da tecnologia aplicada aos materiais e a melhor técnica de construção de instrumentos facilitaram a tarefa de achar um violão bom e barato. Seguindo nossa lista, dá pra decidir qual o melhor para você. Cada pessoa tem suas particularidades, portanto, cada uma gostará mais de um violão.

Quais marcas fazem violões bons e baratos?

Para chegar a nossa lista final de violões bons e baratos, escolhemos modelos das marcas Giannini, Yamaha, Harmonics, Tagima,  Strinberg e uma dica legal é: evite os instrumentos sem marca. Esses sim devem ser evitados.

Violão barato é bom?

Nem todo violão barato é bom. No entanto, existem vários nessa interseção. A lista do Resenha Sonora é uma mão na roda pra você achar o seu som! Escolhemos os melhores violões a preços que cabem nos mais apertados orçamentos.

Por que algumas marcas de violão são tão caras?

O histórico pesa no preço. 

Marcas consagradas dão-se ao luxo de cobrar um pouco – as vezes muito – mais caro pelo fato de entregarem instrumentos de altíssima qualidade. O tempo que a marca consegue sobreviver num ramo tão competitivo, mostra ao músico que ela não veio a passeio e que seus instrumentos são bons o suficiente para concorrer com outras empresas também renomadas. 

Normalmente, as grifes de instrumentos musicais investem pesado em pesquisa e desenvolvimento para se manterem sempre no topo e isso afeta o preço que elas cobram por seus violões.

O material usado no processo de feitura do instrumento também pode causar acréscimos consideráveis no preço final do violão. Por exemplo, uma madeira mais cara aumenta o preço, assim como ornamentos e adereços – madrepérolas na escala, por exemplo. 

Qual é o preço de um violão bom?

O preço pode variar bastante porque depende de alguns fatores como: país onde é produzido, marca e qualidade da madeira. 

Aqui tentamos manter todos na faixa de preço até R$1200, e todos que listamos têm boa qualidade! Mas, se o orçamento não for um problema, é possível encontrar violões no mercado por alguns milhares de reais.

Antes de terminar…

Além de economizar com um violão bom e barato, é possível encontrar afinadores excelentes por preços acessíveis. Dá uma olhada no nosso artigo sobre os melhores afinadores para violão.

Posts relacionados

2 comentários em “Violão bom e barato: Os 8 melhores a preços acessíveis”

Deixe um comentário